terça-feira, 5 de dezembro de 2006


Queridos afilhados,

hoje está um dia daqueles em que só apeteceria ficar em casa a ver a chuva cair!

Ontem alguém dizia que está o tempo mais lindo do ano porque se vê a chuva cair como algo que é devido à terra e eu só conseguia pensar: "Dizes isso porque talvez não penses naqueles que não têm uma casa de onde possam ver a chuva cair." E fiquei com este pensamento!

Por vezes as coisas que a nossos olhos parecem tão belas para outros são transtornos, incómodos, algo que lhes lembra o que não têm...

Alguma vez pensaram nisto???

5 comentários:

elsa nyny disse...

Madrinha, Lindaaaaaa!!!

Pois, é isso que eu muitas vezes penso...ainda mais nesta época que vivemos, está frio, muita chuva, muito vento...e tudo está enfeitado...e por vezes tudo isso me deixa triste, porque há quem nem tenha onde deitar a cabeça...
:(

Beijinhos, Linda!

david santos disse...

Sandra, olá!
Essa teia com o tempo que tem estado não se aguentava, garanto.
Parabéns.

Esquilo disse...

É por estas e por outras, que costumo dizer que só damos valor ás coisas quando nos faltam...
É muito bom ter um tecto...
Uma família...
Amigos...
Eu tou e estarei cá sempre

Jacinta disse...

ola sandra. reparei que me deixaste um comment, obrigada. Mas conheces-me? Não consegui encontrar o teu email para te escrever, desculpa estar a escrever para aqui, mas fiquei muito interessada no vosso blog. De onde és? Conheces os missionários combonianos? e o fé e missão?
Beijinhos
Jacinta
jacinta.correia@gmail.com
www.fe-e-missao.blogspot.com

Conceição Bernardino disse...

Olá,
Para além de vir desejar um ANO NOVO COM MUITO AMOR...
Quero também dizer o quanto você é importante para mim
Aceite este gesto de carinho como prova da minha sincera amizade...
Beijinhos
Conceição Bernardino

Meus blogs http://amanhecer-poesia.blogspot.com

http://sentidos-visuais.blogspot.com




Anúncio gratuito...


PRECISA-SE URGENTEMENTE,
De um pouco de carinho, afecto
De preencher este espaço vazio,
Que o meu coração aluga de bom gosto
A quem lhe queira dar um gesto de conforto
De uma palavra, qualquer
Que se desfaça no meu ouvido
Preciso apenas...
De um amigo!


Conceição Bernardino